Notícias — 14 março 2013

São Paulo - A caneta falante ‘Pen Top’ é destaque em uma exposição no Centro de Memória Dorina Nowill, em São Paulo. O dispositivo foi desenvolvido pelos pesquisadores amazonenses Danielle Castro de Albuquerque e Marivaldo Albuquerque, com o apoio do Governo do Estado por meio  da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).

A Pen Top é um dispositivo que visa facilitar o dia a dia dos deficientes visuais. A caneta ajuda a reconhecer objetos e a identificar valores nas cédulas de dinheiro.

O produto foi fabricado em Manaus com incentivos do Programa Estadual de Atenção à Pessoa com Deficiência – Viver Melhor/Pro-Assistir, financiado pela FAPEAM, em parceria com as secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM) e dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped).

O Centro de Memória Dorina Nowill congrega as iniciativas voltadas à acessibilidade e inclusão social para os deficentes visuais. O local disponibiliza exposições interativas repletas de recursos sonoros e olfativos.

O museu disponibiliza peças modernas, com novas tecnologias que facilitam o manuseio e contribuem para que o deficiente visual tenha vida independente. Em seus espaços, podem ser encontradas livros em braile, áudio com leitura de livros, máquina de escrever em braile, computador com software atualizado, entre outros equipamentos.

Para Marivaldo Albuquerque, o Amazonas desponta em iniciativas que promovem a inclusão de pessoas com necessidades.

“O Centro de Memória Dorina Nowill é uma referência, na América Latina, dos avanços obtidos em prol das pessoas com deficiência visual. Ficamos felizes em podermos desenvolver soluções úteis para o dia a dia dos nossos irmãos cegos ou de baixa visão”, disse.

A Caneta Falante Pen Top pode ser adquirida pelo site http://www.pentop.com.br/

Fonte: Agência Fapeam

 

Compartilhar

Sobre o Autor

Intermais