Campus Extensão Notícias — 17 dezembro 2015

            A empresa sul-coreana Samsung, em parceria com o Instituto de Computação (Icomp), darão início a uma série de experimentos utilizando métodos tecnológicos dentro da sala de aula. As atividades iniciam em março de 2016 e o objetivo principal é descobrir se os estudantes terão melhor rendimento com a ajuda da tecnologia.

            De acordo com o Professor Raimundo da Silva Barreto, serão utilizados vários tipos de sensores para captar os sinais que os alunos apresentam dentro da sala de aula, e assim, identificar a situação emocional deles. “No primeiro momento vamos utilizar o próprio celular, por que o mesmo possui alguns sensores que podem nos ajudar. Também vamos usar biossensores para capturar a emoção do aluno e saber se ele está com raiva, estressado ou triste, algo que possa interferir o seu desenvolvimento dentro da sala de aula”, explicou.

            Além dos sensores, o grupo de pesquisadores também utilizará aplicativos em Tablets para coletar informações durante as avaliações, com o objetivo de saber qual o nível de compreensão do estudante sobre determinado assunto. “Primeiramente nós vamos fazer um experimento em uma escola no bairro Cidade de Deus. Já temos a autorização e todo o material necessário para trabalhar. Vamos identificar, por exemplo, a ordem que os alunos responderam as questões e se eles voltaram a uma mesma questão para alterar a resposta. Além disso, iremos contar com a ajuda do professor para sabermos quais são as habilidades necessárias para a melhor compreensão de cada aluno”, contou o professor.

            Durante a pesquisa, serão aplicados três testes para verificar o estilo de aprendizagem dos estudantes. Os aplicativos irão acusar aqueles que têm mais facilidade utilizando mídias como vídeos e imagens e aqueles que preferem a aula teórica. “O primeiro teste identifica o estilo de aprendizagem, o segundo a autoeficácia e o terceiro a procrastinação”, ressaltou.

            Barreto afirma ainda que ações entre a academia e a indústria são elementos motivadores para os discentes, uma vez que trazem os problemas do cotidiano das empresas para serem resolvidos na Universidade. A UFAM, por meio do Icomp, realiza parcerias com diversas companhias do ramo da tecnologia, sempre buscando soluções para os grandes desafios sugeridos pela indústria e investindo na inovação de seus métodos de pesquisa.

Texto: Felipe Campinas

Compartilhar

Sobre o Autor

Intermais

(0) Comentários dos Leitores

Comments are closed.